quarta-feira, 20 de junho de 2018

A má disposição nem me permite postar

Toda esta situação de separação dos menores dos seus pais e a subsequente colocação dos miúdos em "gaiolas", enoja-me de uma maneira que vocês não fazem ideia...

Foda-se, que merda de mundo este!

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Coisas que me encanitam

Que eu saiba ainda não se paga para ter conta no Facebook. Também não tenho conhecimento de que apenas se possa ter uma conta por morada.
Então porque caralho há malta com contas do tipo "Maria e Aníbal", "família Abrunho", "família José e Armanda"???!!

Alguém é capaz de me explicar a razão desta merda, ou pelo menos, qual a utilidade?!!
A sério, é mesmo uma dúvida que me assola.

quarta-feira, 30 de maio de 2018

A privação de sono...

Se há coisa que é capaz de (quase) me derrubar, é a privação de sono.

Isto anda tão mal que eu já fico contente por não me esquecer de nenhum dos petizes nalgum lado...

Se continuo neste ritmo, acho que não chego ao natal...

A masoquista que há em mim...

Arranjei uma PT. Decidi que não podia continuar gorda que nem uma vaca. Já são demasiados anos sem vestir metade do recheio do meu roupeiro. (Sim, que isto é tudo da primeira gravidez, que esta segunda não fez qualquer mossa)

Uma vez por semana lá vou eu ter com ela, a PT, e apamhar porrada à séria.

Chego a casa e enfardo mer** como se não houvesse amanhã...
...mas depois espero milagres...yeah, right...não cosas os cantos à boca não.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

E agora se alguém me souber explicar, eu agradeço

Porque caralho é que alguém (que não seja um tarado sexual) ha-de querer ver uma gaja a treinar, em vídeos de alguns segundos, que elas botam nas redes sociais???!!

(Bem sei, há toda uma panóplia de actividades que se inserem nesta categoria, bem sei...)

E um grande foda-se

Philip Roth, um dos melhores dos americanos.
Uma pena...

E para as alminhas que já se regozijavam por aí

Ainda não morri de vez. Uma pena, bem sei.

Podia escrever que a ausência se deve a uma multiplicidade de coisas. À maternidade, e toda a azáfama e privação de sono que isso acarreta, ao regresso ao trabalho ainda na senda das noites dormidas a meio gás, entre mama e choro.
Podia ser porque os últimos tempos foram duros psicologicamente, porque perder um ente querido é, e será sempre, um grande buraco nos nossos corações.

Mas na realidade acho que se deveu mesmo a falta de inspiração e vontade.

Mas estamos em Maio. E Maio é o mês em que o calor começa a chegar e os dias começam a ficar maiores. Maio é o mês da mãe, aquela que agora sou a dobrar e aquela que agora já não tenho.
Maio era o mês da minha mãe  (e vai continuar a ser, em boa verdade).

Por isso cá estamos, mais parva que nunca, e com a capacidade intelectual de uma ervilha...já não sei o que é dormir 7 horas seguidas há décadas (7!! Nem 4 pá!!)

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Sentimentos contraditórios

2017 foi um ano tramado.
Se por um lado me conferiu a enorme alegria de dar à luz novamente, por outro, ceifou-me aquela que me deu à luz a mim.

No ano em que aumentei a minha prole, perdi a minha progenitora. Não foi inesperado, não posso dizer que foi.

Meses antes já tinha sido confrontada com um diagnóstico que, infelizmente, por muito optimista que eu quisesse ser...não tinha grande volta a dar. Foi assim uma espécie de "crónica de uma morte anunciada".
Não foi mais fácil por isso. Nada. Também não posso dizer que tenha sido mais duro por me encontrar grávida.

Foi um ano duro! Perder assim uma mãe, demasiado cedo. Ter de acompanhar a evolução de uma puta de uma doença que tantas vidas já ceifou. Acompanhar o sofrimento e dor de alguém que amamos, é duro.

Depois chegou um momento de alegria. Nasceu o meu filho, o neto que a avó não conseguiu conhecer.

De seguida veio o primeiro natal sem ela sentada à mesa.

2017. Esse ano filho da mãe. Esse ano que me fez chorar tantas lágrimas de tristeza mas que também me fez sorrir novamente ao receber nos meus braços o meu filho perfeitinho.

Fico contente de te deixar para trás. Para a frente, se Deus quiser, terei muitos bons momentos com os filhos. E terei sempre a memória dos bons momentos com ela...

Feliz 2018 para todos.
Que seja melhor que 2017!!

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Não podia passar-me mais ao lado, mas...

Se eu não compreendo a necessidade da malta publicar a comida que come, tirando situações pontuais, porque razão será necessário publicarem fotos a amamentar.

É que não é o amamentar. Isso é perfeitamente normal. Eu faço onde tiver de o fazer ainda que, por opção, me resguarde o máximo que me for possível.

Mas porque razão tiramos fotos para publicar em redes sociais???

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Meanwhile

Nos EUA continuam a defender que o problema não é o acesso às armas.

Trata-se sempre de uma questão de problemas mentais.

E eu vejo-me forçada a concordar. Realmente são problemas mentais, são, mas daqueles que defendem esta teoria de merda.

Como reforçar uma ideia

Portanto, numa tentativa de "mostrarem" que os seguranças afinal são é umas vítimas, que apenas batem para assegurar o bem estar dos clientes do espaço e que estão injustamente a serem acusados e enxovalhados à conta do caso urban, uns seguranças acharam que seria boa ideia filmarem umas miúdas à pancada, à porta do local onde trabalham, enquanto gritavam "grava, grava, que é para verem como a culpa é dos seguranças. Agora não vamos fazer nada..." (admito que o texto não está à letra, mas recuso-me a ir ver o vídeo novamente)

...

Really senhores? Really?

sábado, 28 de outubro de 2017

Constatações...

Ainda tinha sido possível ir ver os "the national".

Pronto, podia dar-se o caso de parir no concerto, podia, but still...

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Ele há coisas...

Consigo encher 3 sacos gigantes de roupa de forma diligente, eficaz e bastante serena.
Entro no carro, e com uma única memória de umas das camisolas que empacotei para dar, vim a conduzir em lágrimas até casa...

terça-feira, 17 de outubro de 2017

E eu, que até nem costumo ser apartidária...

Não consigo compreender como é que pessoas instruídas e com o mínimo de educação/cultura, conseguem mesmo estar a apontar dedos a este ou aquele governo.

Uma calamidade como a que estamos a assistir. Uma calamidade que passa por escassez de meios, por ordenação  (no caso "desordenaçao") florestal, prevenção, legislação e aplicação efectiva da mesma,  formação competente a quem anda no campo...e muito mais...como é que podemos achar que a culpa é apenas de um governo com 2 anos, ou de 6 anos de governos ou, se calhar, até mesmo de 10 anos...

A sério??! Acham mesmo que foi este governo que falhou em tudo? Ou acham mesmo que a culpa é toda do anterior governo??
É assim tão simples sacudirmos água do capote?

Coisas que me intrigam

Serão as pessoas tão proactivas na vida real como nas redes sociais??! (Na realidade não me intriga porque sei bem a resposta)

Uma forma de ajuda aos heróis que tanto espalham agora pelas redes sociais, e ao alcance de quase todos, é serem sócios dos bombeiros voluntários e pagarem as quotas.
O valor é relativamente simbólico e se todos aderirmos aposto que é uma grande ajuda.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Não obstante muita coisa...

Com 523 fogos activos gostava que alguém me dissesse se acredita mesmo que era viável haver meios suficientes...

Suponho que esses bombeiros viessem montados em unicórnios ou nas renas mágicas do pai natal.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Percebes que tens um problema quando...

A tua "terapia" para lidar com eventos tristes é pesquisar viagens e planear escapadelas...

*especialmente quando dás por ti a fazer isso prenha de quase 8 meses...

E amanhã já faz um mês

E eu continuo a ter dias em que acho que tudo não passa de um sonho mau, do qual ainda vou acordar...

Provavelmente podem passar anos, eu nunca vou compreender

Moças (já não tão miudas quanto isso) e mulheres feitas, que publicam no FB fotos suas, ali entre o "sou bue sexy" mas "super descontraída", acompanhadas de frases supimpas e profundas, à laia de "a vida são 2 dias, enjoy" e "temos de lutar pelos sonhos, são o que nos motiva", isto tudo seguido de 347 hastags (preferencialmente com os textos em inglês).

Aquela merda serve para quê?
Juro que não compreendo.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

A vontade por vezes é de fugir, desaparecer...mas cá estamos. A vida continua

Tou enorme (na verdade engordei muito pouco, ainda estava era gorda da primeira gravidez). A barriga já pesa. Acordo 54 vezes por noite para fazer xixi. A posição para dormir faz-me acordar outras 33 vezes. Ou então, se calhar, são só os meus pensamentos que não me deixam dormir descansada, não sei.
Também não quero vir de baixa para casa, não quero que os pensamentos me atormentem durante o dia.

Precisava de férias, na realidade. De fugir daqui durante uns tempos. Fazer aquilo que tanto me faz feliz, viajar.
Mas agora não pode ser.

Olhem, temos pena. Vou respirar fundo e prosseguir para o próximo acto.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Sim, voltei

Mas estava bem melhor aqui...

Eu até não sou gaja de me queixar do preço da cultura (vá, por norma)

Mas 12 euros, por adulto, para a exposição Van Gogh Experience é um cadito abuso.

Tá giro, tá. O miudo ainda se divertiu lá a pisar as imagens no chão enquanto passavam, sim senhora. Mas 12 euros...hum...

*sim, ainda estou viva.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Contagem decrescente para as férias...

Praiaaaaa...
Estou a necessitar de sol, areia e mar...

*e de uns largos (bem, largos é sempre relativo, mas enfim) tempos longe do estaminé laboral...

Cada vez mais..

Me convenço que os portugueses têm muito tempo livre nas mãos.
É que a pachorra (tempo) que há para se discutirem temas do cu...jasus!

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Nunca assisti a tão mau profissionalismo

Fonix. Nunca pensei ter de mudar de obstetra a meio da gravidez!!
E olhem que eu n sou uma gaja esquisitinha!

Agora é cruzar os dedos para que a próxima não seja uma palerma (sim, todas as de que me foram dadas referências ou trabalham no cu de judas, vá fica fora de mão, ou então só têm vagas lá para agosto...)

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Credo!

Já não postava há um mês!!??!!

O mais grave é pensar (não pelo facto de não postar, naturalmente), porra, o que é que eu faço ao meu tempo!! E, como já vamos no mês 6???!!!

A ver as vantagens, que podem chegar a não ser...

Há quem queira ter meninos, há quem queira ter meninas. Há quem queira os dois, alguns até em versão múltiplas.

Eu, para além do clássico, muita saúdinha e tudo no sítio certo, não sei bem o que quero.
Sei. Quero uma cria mais calma, mais serena, menos pirata e igualmente meiguinha à que já tenho!
E que durma e coma bem.

Sempre achei que ia ter um casal. Talvez fosse o meu lado saloio a querer poder dizer "ah, tenho um casalinho", talvez fosse o meu lado pseudo sociólogo a querer ter a experiência de ambos os lados (sim, são bueeeee diferentes, não me venham com lérias!).
Ou então foi simplesmente porque foi isso que o teste da linha e da agulha tinha profetizado para mim há uns valentes anos...(ainda não estou em mim de acreditar que este teste, altamente fidedigno, quase científico, vai falhar)

Não sei, mas assumo que me convenci que ia ser mãe de uma rapariga...até ao dia em que a obstetra me diz "hum, acho que é rapaz!" E o volta a afirmar, já na versão "é rapaz", 3 semanas depois.

Por via das dúvidas, que eu sou pessoa muito céptica, vou aguardar pela confirmação do meu ecografo na morfológica que faço este mês.

Sim, consigo escrever meia página para vos dizer que tou prenha pela segunda vez.

Até o telemóvel conspira contra mim, porra

É só para avisar que o post do selinho não sai agora (que acabei de o escrever) porque não consigo meter links via telemóvel.
Esta porra deve ser fêmea, com este temperamento...só pode!! Apre!

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Estudo de mercado

Serei má mãe por não considerar ir a um festival do panda antes do miúdo ter noção (descobrir) que aquilo existe e peça para ir??

Coração que não vê (no caso, não sabe!)...

Ao que chegámos...

Portanto, andou aí tudo a falar sobre um tal jogo da baleia e afinal parece que era tudo mentira.

A quem é que entregaram o jornalismo!!???

quarta-feira, 3 de maio de 2017

É certo que me é um pensamento recorrente...

Mas há dias em que não consigo deixar de me intrigar como é que algumas pessoas conseguem chegar a certos cargos. A sério!

Assim uma espécie de serviço público

Podiam começar a dar, à saída dos aviões, umas amostrazitas de protector solar aos camones, devidamente acompanhada de um folheto ilustrativo/fotográfico dos efeitos da ausência do mesmo no curto prazo.

E no metro, juntamente com o "mind the gap" e o "beware of the pickpokets", um a dizer "put sun cream, beware of sunburns" - e até podia ser o zézé camarinha a gravar a mensagem e tudo.

É que aquilo até fere os "jónhinhos".

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Giro, giro...

Era ver a malta a meter a bandeira Síria nos perfis de FB.

Ah, esqueçam. Não estão na Europa, não tem o mesmo valor...

quarta-feira, 5 de abril de 2017

sexta-feira, 31 de março de 2017

Estava a ver as notícias

Um grande bem haja aos labregos que acham giro não vacinar os filhos contra coisas como o sarampo. A sério. Não arranjem um cérebro não.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Ai que parece que o meu puto é levado da breca

Pelos vistos, filho de peixe sabe mesmo nadar...

*creio que é nestas alturas que damos, mesmo (assim à séria), valor à nossa mãe (e sogra).

Não sei é se os serviços judiciais dariam vazão...

Por vezes gostava que ter o conceito de "citizen's arrest", nem que fosse só por um dia.

*serei só eu que me deparo com "azelhas" no trânsito, que venho a verificar entretanto que estão a manusear o telemóvel??!

quarta-feira, 1 de março de 2017