quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Dos extremos

Não sei quem me irrita mais, se os extremamente pessimistas e negativos se os super positivos.

Mas aqui que ninguém nos ouve, acho que os super mega optimistas (cheios de energias e merdas tiradas de livros de auto - ajuda) me conseguem tirar mais do sério.

sábado, 12 de novembro de 2016

Das r(a)elações...

Encontrei o meu primeiro cabelo branco num dia que acabou por ser um dos piores da minha vida (se não o pior mesmo).

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Porque eu sei que estavam cheios de saudades dos meus ataques de síndrome de Tourette

Puta que pariu os paizinhos que consideram legítimo perturbarem o trânsito para irem buscar os seus petizes ao colégio.

Foda-se! A sério, a situação que se passa ali à porta do Liceu Francês  (e não será seguramente só aí) é execrável.

Mas mais execrável é o facto da polícia não fazer nada.
Não querem multas? Era colocarem lá um ou dois agentes ali pela hora da saída  (imagino que à entrada possa ser o mesmo) e era só facturarem.

República das bananas do caralho!

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Devo estar na menopausa (muito) precoce

Só isso explica o calor e afrontamentos que estou aqui a sentir no autocarro (que está longe de ir cheio).

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Disso dos ricos

Não obstante muita coisa, still, deixem-me que vos diga, que quem tem a mania que os que pagam muitos impostos ( logo, sustentam os mandriões) são os trabalhadores que levam este e o outro mundo às costas, devia ir passar umas horitas à empresa onde eu trabalho.

Claro que sim...

Adoro quando sacam da cartada "oh, mas eles até gostam. Faz-lhes bem e eles gostam" quando tentam "justificar" o porquê das suas criancinhas ficarem a cargo dos avós (numa base diária e em substituição do infantário).

Gostam, claro que gostam.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Não quero parecer mal agradecida

Não deixando de ser de louvar este tipo de medidas (intenção, pelo menos), ainda assim, o que é que é suposto fazermos com as crianças dos 5 meses até aos 3 anos??!

É para quem pode, não para quem quer...

Uns trabalham,  outros vão ao local de trabalho passar tempo.

A puta da minha úlcera um dia dá cabo de mim. Ou dá cabo de alguém, pelo menos.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

A decidir...

Se acho mais revoltante/deprimente/triste a polícia ordenar a uma mulher que tire o burkini ou "expectadores" que aplaudem e gritam "vão para casa" enquanto a cena decorre, com a filha da senhora a chorar ao lado desta.

E o expoente máximo da ignorância será alguém achar mesmo que os radicais, os extremistas, deixam mesmo as mulheres irem para a praia alegremente banharem-se com as filhas (com burkini ou não).

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Sobre aquilo de cuspir para o ar

Será mesmo verdade que é muito fácil educar os filhos dos outros, ou há malta que devia ter mais pulso nos seus filhos.

Não sei se tenha mais pena de ter de vir a engolir em seco as coisas que digo, ou se do futuro da minha cria...

Once again

A alegria das férias passa assim que me sento à secretária e ligo PC.

Era passarem-me um pano encharcado para as mãos...

Acho que já sei o que quero fazer quando crescer...

Ter uma agência de viagens!

domingo, 7 de agosto de 2016

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Vergonha alheia é...

Conseguir fazer um trabalho, numa área completamente distinta da nossa formação académica, muito melhor do que uma pessoa dessa área e que recebe para o fazer...

Nem sabia se havia de rir ou chorar.

So many things to do, so little time...

Comecei um novo ano esta semana. Rumo ao 38...que 37 já cá moram.

O trabalho é mais que muito e a vontade abaixo de zero.

O calor é muito. Mas para a semana meto-me a banhos.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Realmente, as coisas são como são

Vejo as notícias do atentando em Nice e sinto-me desolada. Sinto-me triste. Merda de mundo este em que vivemos.

Vejo imagens, várias. Personalidades diversas apresentam, e muito bem, as condolências.

Mas depois penso, e quando rebentam bombas em hospitais, em escolas, em aldeias cheias de mulheres, crianças, centenas de inocentes, por esse mundo fora. Aquele lado do mundo que não está aqui ao lado. Na Síria, no Iraque...
Onde anda esta nossa indignação?
Onde estão as ondas de solidariedade?

No fundo, mesmo lá no fundo, não nos "comovemos" mais agora porque somos mais amigos ou sentimentalmente mais próximos dos franceses (no caso), "comovemo-nos" porque eles estão, literalmente, aqui ao lado. Porque foi na Europa. E a europa é aqui. A europa também sou eu. E o perigo, quando está demasiado perto, mete medo. Mete mesmo muito medo.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Também pode ser da idade...

Não faço puto ideia de quem sejam as pessoas que estão na "tenda VIP".

Pior. Neste último Alive, o Miguel Ângelo estava na tenda VIP. Não, ele ainda não morreu...

Sabes que estás a ficar velha quando...

Não conheces a banda cabeça de cartaz de um festival.

Estou a assistir aos National na SIC Radical

Alguém me consegue explicar o que tem assim de tão extraordinário tocar na mão, braço, whatever de um vocalista. A sério.

Conclusões dos festivais de Verão #2*

Alguém por favor tome a atitude banir os telemóveis dos concertos. 

Pá, tirar uma foto ou outra ainda vá, já sabemos que as redes sociais têm de ser alimentadas, não é verdade. Mas eu não paguei para ver um concerto pelo ecrã do caralho dos vossos telemóveis. 

E deixem-me que vos diga que se é para o verem assim mais vale pouparem o guito do bilhete e a cerveja  a 4 euros cada meio litro mal enjorcado, e vão antes para casa ou para uma esplanada ver na TV.

*Na realidade este flagelo não é exclusivo dos festivais, aplica-se a todos os concertos em geral.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Lá disso do casal que teve sexo em público, com a filha menor ao lado

Concluo que a verdadeira preocupação, nos dias que correm, é a de ter o telemóvel sempre em riste e saber fazer o upload de vídeos para as redes sociais.

E parecendo que não, essa merda entristece-me de sobremaneira.

Nota a quem filmou (esta e outras situações): o telefone, para além da opção de filmar e fotografar, também tem um botão que permite efectuar chamadas, nomeadamente para as autoridades ou serviços de emergência.

*e sim, a atitude daquela mãe é nojenta.

Por vezes não compreendo porque gosto tanto de ir de férias...

Quando regresso ao trabalho parece que o mundo desabou...

Devo ser muita boa eu, pena o recibo de vencimento nem sempre espelhar isso...

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Pedido aos SMAS

Metam xanax a correr nas torneiras deste país.

Meus amigos, vamos lá a ver. Somos livres de não concordar com determinada opinião ou atitude. Podemos criticar, é algo que a liberdade de expressão nos confere.
Até podem brincar, gozar. Hey, no limite e se a educação assim vos conduzir, até podem insultar.

Mas ameaças? Desejar a morte?
Epaaaaa se calhar convém começarem a agarrar uma calminha, não!?!

E mesmo os insultos, pensem lá nisso com mais carinho.
Há mesmo necessidade de cuspirem aqueles impropérios todos que aparecem nas redes sociais?

É que eu leio aquilo, e a ira, a fúria, o ódio que destila dali, chega a ser medonho. Fico com a sensação de que o estado devia era fazer uns contratos de associação com empresas que leccionem cursos de "anger management"...

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Afinal anda mesmo tudo mamado da cabeça

A sério que ameaçaram o filho do Markl  porque este se riu de uma merda que o Cid disse há um colhão de tempo atrás.

Foda-se! Quem é esta gente pá!!??

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Prioridades todas trocadinhas, ou como anda tudo mamado da cabeça

Um gorila foi abatido porque uma criança caiu na sua jaula.

Soam automaticamente as cornetas da negligência dos pais. Quem crítica e pede "sangue" nem sequer tem conhecimento total das circunstâncias, mas consegue,  ainda assim, concluir que os pais são umas bestas negligentes. Ok.

Vamos passar por cima do facto das crianças serem, por natureza e na sua maioria, pequenas pestinhas mais escorregadias que um sabonete, rápidas que nem uma flecha e...muito mais pequenas que um adulto, que lhes confere a possibilidade de se enfiarem e escaparem por locais não acessíveis a um adulto (muito menos numa fracção de segundos). Ignoremos irmãos!

Foda-se! Mas esta malta indigna-se não porque a negligência* destes pais colocou em risco de vida um menor, uma criança!!! mas sim porque a negligência deles causou a morte de um gorila.

Ah bom, então está tudo bem! Caguei pó puto. Na volta tem os pais que merece. Agora o gorila é que coitado.

Não larguem as drogas não.

*lembrar que estamos a assumir que sim senhora, os pais são uns negligentes dum raio.

E sim, lamento pelo bicho, claro. E sim, este post está sob a influência dos comentários que li em diversos meios de comunicação social e redes sociais.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Coisas que me enervam #2

É só a mim que me chateiam (perturbam) os diversos anúncios que aparecem no FB, em pesquisas no google (...) de produtos que eu calhei em pesquisar uns dias antes numa outra página sem qualquer relação com aquela???!!

C'a granda  controlo pá!!

Coisas que me enervam #1

As pessoas que têm a mania que o bom trabalhador é aquele que sai do trabalho às tantas (relevando completamente o facto de que, em calhando, entraram perto das 11 da manhã).

Realmente neste país mais vale parecer do que ser...

Coisas que me conseguem irritar mais que a merda das frases feitas das cifras, ou lá como se chama aquela treta

As porras das imagens com o "mete um amém". O que é aquela bosta pá?

"Quero ver se é capaz de dar o seu like".

A sério, a pergunta é genuína. O que é aquela merda, e aquilo serve para quê exactamente??!

segunda-feira, 23 de maio de 2016

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Mistérios do mundo

Um dia ainda vou conseguir perceber porque razão o gajo cá de casa insiste em ligar a merda da televisão do quarto quando, invariavelmente, 5 minutos depois (10, no limite) está a dormir.

Deve ser só para me irritar.

Há por aí alguém bem relacionado?

Expliquem lá ao S. Pedro que estamos quase em Junho e que essas ameaças de chuva para a próxima semana não têm piada nenhuma.
Já chega sim!!

É a PDI

Concertos que acabam às 3 da matina senhores! Eu já não tenho 20 anos.

Mas dava o dedo mindinho para ter a energia que o senhor tem, aos 60 e qualquer coisa (não me apetece ir ver à net).

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Tivesse eu tempo

Já ando à'canos para abordar aqui a temática (aflorada ali no post abaixo) da inveja e das mal fodidas.

Ora bem, a ver se faço isto por pontos que é capaz de ser mais fácil.

A ver:

- cada qual é livre de ter a sua opinião, gosto, estilo de vida and so on. Mas a mesma máxima aplica-se aos que tem opinião/gosto (...) oposta a quem fala.

- um comentário oposto ou uma crítica construtiva, não são bichos maus. São o que são, e nem sequer têm de ser com intuito maldoso. True story!

- haver coisas que metem nojo e/ou revolta a uma pessoa não é sinónimo de inveja. É mesmo só nojo, asco e repulsa.

- uma pessoa pode ter acabado de pinar e ainda assim olhar, por exemplo, para malta nos globos de ouro e ver lá fatiotas que escorrem azeite por todo o lado. O sexo, em princípio, não faz mal à vista.

- acho muito bem que trabalhem, que cuidem das casas, da família e que tenham hobies, mas também creio que necessitamos todos daquele tempinho em que vamos espairecer para a net, não sendo para isso necessário ser uma desocupada.

- também não compreendo quanto tempo dedicam ao sexo. Acho por bem que muito, mas ainda assim creio que também seja saudável dedicarem tempo a outras coisas, pelo que mais uma vez, vir comentar blogs não implica uma relação directa com a ausência de sexo. Em se sendo bem organizado, dá para fazer ambas, não aconselho no entanto a simultaneadade, mas cada qual sabe de si.

- se aprenderem a ter mais poder de encaixe para as críticas/opiniões distintas das vossas, conseguem ler melhor as coisas.
Poderão até conseguir, finalmente,  perceber que muitas vezes até são fãs e verdadeiros seguidores que vos estão a comentar e não haters. Só calhou naquele dia não apreciarem a vossa fatiota ou concordar com a vossa opinião.
Prestem lá atenção a isso, é que há situações que chegam a ser gritantes, as pessoas quase que vos pedem perdão por não estarem em sintonia naquele dia.

- posso achar que uma gaja que é mil vezes mais bem sucedida, boazuda e gira do que eu, se veste mal. Esta permissa não invalida as outras. E também não é, obrigatoriamente, uma tentativa de arranjar um defeito, até porque...perfeição não existe meus caros, e isso não carece de constatação. Sorry.

- são figuras públicas, ganham a vida com isso, pois...então se calhar necessitam de perceber que estão mais expostos a comentários, positivos ou não. Se é justo. Pois não sei, mas são assim as coisas, e tenho para mim que quando entraram neste mundo já o sabiam.

- são bloggers, vivem dos blogs. Estas então não compreendo mesmo do que se queixam, "Ai não gostam não visitam", fonix, mas vocês não ganham com as visitas de página??!
(Sendo que, e lá está, remeto para o ponto 7, não concordar com determinada opinião, não gostar de um outfit ou dizer que podia fazer isto ou aquilo para melhorar, NÃO é sinónimo de não gostarem de vos ler, apenas de que não fazem cegamente amém a tudo!!)

- ter opinião própria e não alinhar em carneiradas não faz de nós o patinho feio do grupo. Podemos ter sexo e 0% de inveja. Wow, bem sei!

É que nem é por nada, mas tudo o que é em demasia começa a cheirar a podre.
Já não se pode dizer nada diferente sem se ser invejosa ou mal fodida...caramba!

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Depois de tanta coisa que já foi dita

Continuo sem compreender como é que há pessoas que ainda não atingiram porque é que há tantas bloggers alvo de críticas, no que diz respeito ao negócio que fazem dos seus blogues. A sério que não.
E ainda me irrita mais quando lançam da cartada do "têm é inveja". Mas inveja do quê carai?

Fonix, eu nem sequer teria problemas em reconhecer a profissão de blogger, caso a mesma fosse alvo de tributação e pagamento de impostos como as demais profissões (e se já as há, então nesses casos, nada contra).
E também não compreendo a ideia peregrina de que quem crítica acha que o trabalho, alvo de valorização, tem de ser de enxada na mão.

Valorizo muito o trabalho físico e/ou intelectual. Tal como valorizo quem tem a criatividade e capacidade de criar novos meios de recursos e novas profissões. A única coisa que eu quero (achava por bem) era que esse trabalho, para além de pagar impostos como o meu, em sendo publicidade, fosse assinalado e identificado, clara e visivelmente, como tal!

Ah esperem, afinal também gostaria de outra coisa. Que não reconhecessem a qualidade de trabalho honesto e legítimo, a quem o faz explorando os filhos.
Sim, aquilo é explorar, ide-vos fornicar.

Gajas que vivem dos blogues, cujo teor é em 85% conteúdo de imagens dos filhos, por favor tenham lá a decência de não dizerem que o "sucesso" advém do vosso trabalho, sim!!

Coisas soltas

As gajas que pavoneiam as filhas nos seus blogues, com mil noventos e trinta kits matchy-matchy, como se de animais em exposição no zoo se tratassem, na realidade brincaram foi pouco com os "carecas"*, não foi??

*não sei sequer se ainda existem, mas na minha altura brincávamos com os carecas. Também tinha barriguitas, mas os carecas eram muito mais parecidos com bebés.

domingo, 15 de maio de 2016

O mundo está do avesso

Contou-me uma amiga hoje, que no colégio do filho de uma colega dela, na actividade do dia da mãe, havia miúdos acompanhados pelas empregadas/amas (?).

Fiquei a pensar nisto. Tá tudo louco, não está??!

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Mas é assim tão complicado compreender?

Os contratos de associação, que já existem há muitos anos, justificam-se quando não existe oferta pública.
Em existindo oferta pública, porque carga de água vou estar eu a pagar impostos para que meia dúzia de miúdos  (que por norma até são alvo de triagem) ande num colégio privado??!!
Está tudo parvo?

sábado, 30 de abril de 2016

Estou para aqui intrigada...

Não sei se as birras dos putos começaram a brotar que nem cogumelos, se as pessoas estão subitamente mais atentas ou se, simplesmente, agora é moda dissertar sobre essas birras...

Sim, já regressei..

Buaaaaahhhhhh
Vou só ali  chorar mais um bocadinho e já volto.

quinta-feira, 21 de abril de 2016

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Eu sou assim, fico a remoer as coisas

A malta que defende que a hiper actividade e défices de atenção  (ou similares) são doenças da moda, e que antigamente não havia nada disto, são os mesmos que defendem que antigamente os carros não tinham cintos e transportávamos os putos sem quaisquer cadeirinhas e não havia problema nenhum nisso*, não são??

Imagino também que sejam os mesmos que são muito dados às novas tecnologias, sempre com os últimos telefones espertos do mercado, muito activos em tudo quanto é rede social, defendendo sempre que é a evolução, são os tempos modernos.

Pois...

*imagino que muitos de nós, eu incluída, já tenhamos parodiado com isso, especialmente para hiperbolizar alguma situação que consideramos mais papista que papa. Não é a isso que me refiro.

Cenas de mãe pouco fashion

Tirando em bebés muito pequeninos (já estou a fazer um esforço, acreditem),  alguém me explica a lógica dos fofos ou lá como caralho se chama aquilo, que basicamente é uma espécie de fato de banho??!!

Qualquer coisa, é da PDI

Não sei se já o disse aqui, mas gosto tanto do Wagner Moura.

Até me faz gostar do Escobar.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

É que estão mesmo quase lá*

Os comentadores dos blogues estão a ficar cada vez mais parecidos com os comentadores de notícias on line.

*alguns já superaram, é certo.

Coisas que acho...divertidas

Pessoas que juram que os filhos nuuuunca fizeram uma birra em público.

Melhor mesmo, só aqueles que afirmam que eles próprios, hoje em dia adultos, nunca fizeram um birra em público

Pronto, está bem.

terça-feira, 12 de abril de 2016

Eu admito que não vejo muito bem ao longe

Mas acho que acabaram de fazer sinal para oferecer lugar no metro...ainda bem que já estou a ir ao ginásio, é o que me ocorre dizer.

A rubrica tem, de facto, potencial

Um dia mato este gajo!!!
Detesto chegar atrasada. Ainda detesto mais se a razão for a demora do gajo, que fica a fazer sabe Deus o quê.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Porque não custa mesmo nada ajudar

Creio (espero) que por esta altura já todos saibam da possibilidade, que todos nós temos, de doar 0,5% do valor que pagamos de IRS (o montante que fica para os lambões do Estado) para uma instituição à nossa escolha.

Não custa nada, perdem menos de um minuto a colocarem o NIF da Instituição a quem querem fazer a consignação. O dinheiro não sai do vosso bolso, e, pouco ou muito, só ajuda a quem o recebe!

Deem a quem quiserem, o importante é que não se esqueçam de o fazer.
Bem sei que muitos o merecem, e que cada um de nós terá as suas próprias ligações com alguma causa.

No entanto, e se houver por aí alguém que não sabe a quem dar, deixo o meu apelo para que contribuam para a ANFQ - Associação Nacional de Fibrose Quística.

Tem um nome estranho e será, seguramente, desconhecida para muitos, como também o era para mim até à sensivelmente 2 anos.

Uma semana antes do meu filho nascer, nasceu um primo (não de sangue, mas é como se fosse).
Foi um nascimento atribulado. Foi operado, pela primeira vez, ainda nem 24 horas de vida tinha, e só conheceu o seu lar aos 2 meses e meio.

Diagnóstico, Fibrose Quística.
É uma doença genética hereditária. É degenerativa e não tem cura (por enquanto). Só é diagnosticada, antes do nascimento, através de um teste genético.

Se puderem, contribuam. Pode ser uma pequena ajuda para encontrem uma cura.

quinta-feira, 7 de abril de 2016

É que este nem com uns estalos ia lá

O Pedro Arroja está no top5 dos maiores atrasados nacionais, não está??!

Eu sei, tenho sempre muitas dúvidas

Sinceramente não consigo perceber se os comportamentos e comentários (cretinos) de algumas pessoas se devem a burrice, ignorância, estupidez pura ou a execesso de prepotência e arrogância.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Desculpem lá qualquer coisinha

Não tenho culpa de ter uma cria pequena. Dá-me temas para post, o que querem.

Sou só eu que acho uma aberração que ofereçam, como recuerdos das festas de aniversário (??!!!), saquinhos de gomas (e merdas diversas, tipo chocolates, pipocas...) a crianças de 2 anos ou menos??? E sim, o aniversariante fez dois anos!!

Por mim tudo bem. Eu até curto estas merdas. Engordam, mas que se lixe, agora ando no ginásio.
Mas é normal?? A pergunta é genuína, acreditem.

Já tinha ouvido muita manha

Então não é que o desgraçado do catraio agora todos os dias, depois de o deitarmos na cama, começa a dizer para lhe mudarem a fralda e que tem cocó  (é mentira!). Tudo para sair da cama.

Está bem que hoje até esteve quentinho durante o dia

Mas aqui entre nós, as fashions bloggers portuguesas vivem noutro país, não vivem??

Ele é mangas curtas, pés ao léu, alsinhas, calças fininhas. Caramba, eu não sou assim tão friorenta (acho eu) mas daí a andar semi despida com esta tempertura.

quinta-feira, 31 de março de 2016

Aqui que ninguém nos ouve

Acham mesmo que faz sentido comprar toda uma parafernália de tretas para os miúdos (algumas efectivamente úteis, outras nem por isso) com o boneco x ou y, e pagar por isso 3 vezes mais??

segunda-feira, 28 de março de 2016

A este ritmo a operação bikini não vai longe

Cheira-me que necessitava de umas 3 aulas, talvez 5, da que vou fazer amanhã,  para queimar as calorias que acabei de embuchar em amêndoas...sou um caso perdido.

A vantagem de ser um pau de virar tripas

É que qualquer trapinho fica bem, não é??!

Opa, tão bom

Isto é de ir às lágrimas.

E o detalhe da mala, tão bom.

A senhora tinha bebido muita poncha, não tinha?

Assumindo que até alcançava o navio que já tinha zarpado às 20 horas. Achava que fazia o quê se lá chegasse?? Tocava à campainha??

Isto é tão insólito que quase parece uma notícia do Crime, ou do CM.

Continuo a votar na poncha...

É oficial, o puto é arraçado de pato

Ter de tirar o catraio "à força" da água*, ali numa praia da zona de Santa Cruz, na passada sexta feira, não é normal pois não??

Sim, estava fria. Sim, também tive de molhar os pés, inconsciente mas não tanto.

*molhou os pés ok, vá, e parte das pernas e das calças arregaçadas.

Só naquela

Esta sexta pode voltar a ser feriado???

terça-feira, 22 de março de 2016

segunda-feira, 21 de março de 2016

Pequena questão

São só as minhas avaliações, entenda-se, avaliações levadas a cabo pela minha empresa no geral e pela direcção em particular, que são uma valente...falácia*?

Ia dizer palhaçada, mas falácia também pode ser.

Ele há coisas tramadas

Como é que se explica a alguém  (superior hierárquico) que, pese embora o facto das coisas poderem ser mais simpáticas, ainda assim, o cenário não seria tão seria tão dantesco se as pessoas (no caso pessoa, e também ela superior hierárquico - sim, tenho muitos eu...) também fizessem mais daquilo para que são pagas, aka, trabalhar.

Pois, não se explica, bem sei.

quarta-feira, 16 de março de 2016

Começou

Dói-me o corpo, mas amanhã volto ao ginásio. Não antecipo o melhor dos fins de semana...

How weird am i?

Serei eu a única pessoa que não pretende comprar nenhuma prenda de dia do pai para o pai da minha cria??!

O puto vai fazer uma prenda no infantário. Essa vai ser a prenda dele. Não é assim que é suposto ser?

quarta-feira, 9 de março de 2016

Post com uns 3 anos de atraso...

House of cards rules.
Dos melhores diálogos que já vi. Kevin Spacey em grande, as usual.

Mesmo muito bom. Quem não viu, faça o favor de ir tratar disso.

Parecendo que não, faz diferença

Não obstante do nome que se usa para o designar, o dia de ontem não representa o Dia da Mulher mas sim o Dia Internacional dos Direitos da Mulher.

Há uma razão histórica para a sua existência. E não será, seguramente, para ser um dia em que se dão "miminhos" às mulheres.

quinta-feira, 3 de março de 2016

Já alguém andou com os níveis de tolerância baixinhos, baixinhos...assim tipo abaixo de zero?

Qual o desfecho? Linhó?

Isto promete

Nova tentativa. Nova inscrição num ginásio.
Desta feita para ir ao almoço. Com colegas, dizem que motiva e tal...a ver vamos.

Vá lá que não há período de fidelização e o camandro.
Sou tão optimista, não sou?

quarta-feira, 2 de março de 2016

Curtas*

Para além de ser o primeiro homossexual a ganhar um Óscar  (que por acaso até não é verdade, e o rapazito devia ter feito melhor o trabalho de casa), porque razão é que aquela música ganhou mesmo??!

Desculpem. O senhor pode cantar muito bem, mas o que  caralho tem aquela  música a ver com o 007. Mau, mas mau.

Depois da Tina Turner, Duran-Duran, Paul McCartney, Madonna, Garbage - até o raio da Adele (que eu já não suporto) fez uma boa música para o 007 - e tantos outros, aquela música é tão fraquita para ali...

*é tarde e ando muuuuito cansada

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Ainda sobre o cartaz

Conforme disse abaixo, considero-o parvo.
Uma das principais razões é porque não ajuda em nada à luta que se trava há anos de tentar explicar que o direito de adopção por homossexuais passa por uma igualdade de direitos.
Coisa que em nada tem a ver com a religião ou com a crença religiosa ou moral que cada qual tem.

Abordar a questão por este ângulo é só retroceder no que já foi feito.

Mas daí a ter de ouvir (e sim, conheço pessoalmente uns) católicos a insurgirem-se porque os ofende a eles, católicos. Errado!

Constatações

Já vi mais sururu à volta deste cartaz, parvo, do BE do que alguma vez vi sobre um do PNR.

Isto de ser católico é fixe. É só quando dá jeito.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Dica da semana

Ide escutar o "não é mau", programa matinal da TSF com o Miguel Guilherme, desta manhã. Ide.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Devaneios de uma mente esfarrapada pela constipação que a consome...

Tenho fé que um dia possamos ser uma sociedade cuja normalidade seja uma pessoa doente, e passível de disseminar a doença para outros, ficar em casa.

Mas não, somos só uma que olha de lado, desconfia (em calhando à segunda feira então...) e penaliza os funcionários que não vêm.

E caso ainda se questionem, sim, vim trabalhar.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Bom dia

Já mencionei que a minha frase do mês é "as pessoas irritam-me".

Era só isto.
Bom dia.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

O que mais me chateia é que até acredito que possa haver por onde implicar (genuinamente)

Deduzo, pelo que tenho lido nas partilhas nas redes sociais, que os portugueses consideram extremamente ofensivo que um PM sugira às pessoas que deixem de fumar, que ponderem em usar mais os transportes públicos  (para quem tem essa opção, não comecem já com argumentos da treta) e que recorram menos ao crédito (facto que desgraçou muita gente no passado).

Ok.
Portanto isto é ofensivo e motivo de chacota diversa. Imagino então que preferissem ouvir dizer que portugueses têm de deixar de ser piegas. Muito melhor.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Desculpem lá qualquer coisinha

Mas quem acha que o aumento de o imposto sobre a cerveja (e outros) pode, em última análise, prejudicar o turismo...claramente não viaja muito.

http://www.rtp.pt/noticias/economia/associacoes-de-bebidas-espirituosas-surpreendidas-com-aumento-de-imposto_n894125

E ainda

Num país, do tamanho de um ovo, que por acaso até tem uma avenida no topo das mais poluentes da Europa, há quem ache mal penalizar as viaturas que poluem mais.
Ok.

Coisas que me encanitam

Exactamente em que medida é que será incorrecto taxar de forma mais elevada produtos alimentares, carregadinhos de açúcar  (que muitos dão em barda às suas crianças), e que estão longe de serem bens essenciais à alimentação humana??

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Deve ser uma cena minha

Eu realmente devo ter muita saúde.
Em vários anos de trabalho não tenho ideia de ter faltado nenhum por estar doente. Fiquei de baixa nas últimas 3 semanas da gravidez, que passou das 40 semanas, porque quando fui à médica os meus pés e pernas pareciam dois troncos.

Já tive gripes, noites mal dormidas, já tive febres, dores de cabeça, gastroenterites, conjuntivite (das fortes) e provavelmente mais coisas acabadas em ites que agora não me lembra.
Mas deu-me sempre para ir trabalhar.
Parvoíce? Sim, sem dúvidas.

Mas...nem tanto ao mar nem tanto à terra.
Sou parva em excesso, que sou. Mas depois também me parece que há quem, ao mínimo espirro, fique em casa.

Não sei. Se calhar estou a ser injusta. Tem dias que até me chego a sentir mal por pensar o pior das pessoas (depois passa-me).  Mas fracamente, há coisas que tenho dificuldade em perceber.

Serei eu que aguento tudo sem um pio (e para me ouvirem piar é porque estou quase às portas da morte) ou serão os outros que são muita mariquinhas?

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Devia vir na Constituição

Deveria ser permitido, obrigatório até, dar com um pano encharcado na cara de quem disser interjeicões como "ai que amoooor", "que mááximo", "fofa comás coisas fofas" ou "ai que queeeeerida", mas o "ai que amoooor" dava também direito a um pontapé no rabo só naquela.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Olha que simpáticos, heim

A Autoridade Tributária e Aduaneira enviou-me um mail* a lembrar que tenho até 15 de Fevereiro para validar as facturas de 2015, dado que verificaram que tenho algumas pendentes.

Que me proporcionou uns 20 segundos de pânico a pensar "ai porra, o que é que querem de mim!!"

domingo, 24 de janeiro de 2016

sábado, 23 de janeiro de 2016

E depois fico a remoer nas coisas...

Na realidade eu nem quero saber que os FP "só" trabalhem 35 horas semanais (ou privados).
O que eu queria mesmo é que toda essa gente (público e privados) trabalhasse, efectivamente, essas horas.

É que chegava e sobrava.

Não estou com grande inspiração, mas dado que estou "bloqueada" em casa...

Creio que já tenha falado diversas vezes mal dos funcionários públicos.
Não gosto de generalizar, e cada vez me esforço mais para não ser injusta. Mas ainda assim, há muita coisa com a qual não concordo.

Porém, há momentos em que temos de ser objectivos.
Se começarmos todos a achar que actos ilegais são uma boa ideia, somos capazes de estar a caminhar para o faroeste.

Muitos funcionários públicos têm contratos assinados, contratos que dizem 35 horas semanais, concordem ou não. E já agora, há muitos sectores do privado que também os têm  (eu tenho, por exemplo), por norma os que têm contratos colectivos de trabalho.

Ora bem, eu não sou jurista, mas parce-me claro perceber que um contrato não pode ser alterado assim de forma unilateral, sem qualquer tipo de contrapartida. Fazer isso é, parece-me a mim, ilegal.

E agora andam todos para aí contra a reposição de uma situação que foi ilegal, só porque não acham justo!!?

Lamento mas não consigo compreender, a sério que não.

Querem com isso defender o quê? Que se de hoje para amanhã se lembrarem de mexer nas regras do privado (daquelas que temos assinadas no contrato) também vão achar bem? É isso.

É que ou há regras ou não há. Haver quando nos dá jeito ou achamos justo, lamento, mas é um conceito que não existe!

And Jonas is his name...

E a modos que é isto...

Obrigadinha Jonas

E pronto, voo cancelado por 24 horas.
Raio mais aos flocos de neve...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Com mais tempo já desenvolvo o tema

Portanto, em vez de lutarmos todos para ter as 35 horas (e podermos passar mais tempo com os nossos filhos e/ou em lazer), na realidade andamos é lixados porque os funcionários públicos vão voltar a ter as 35 horas (que por acaso até é o que consta nos contratos que assinaram...).

Ok. Isto diz tanto sobre a população portuguesa, mas tanto.

Isto é mesmo muito giro, que é

Sim, estou a adorar a cidade. Caguei se é cliché. Isto é espectacular.

Mas também tenho saudades do puto....

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Daqui a nada está a pedir sopas de cavalo cansado...

Ligo para a avó para saber do miúdo. Diz que ao pequeno almoço disse que não queria o "leitito" queria "popa" (sim, é sopa. Pequeno almoço...). E lá comeu ele uma tigela...
Oh God!

Broadway

Pacino!!! Yeah!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Espero vivamente estar a ver mal a coisa

Mas não vejo surgirem "génios" musicais ao mesmo ritmo que os vejo partirem...

Se bem que igualar o Bowie...

Sim, ainda me choco...

Cada texto no blog são 500 euros. "Se incluir um vídeo com a filha o preço tem de ser conversado".
Foda-se. Depois venham-me cá dizer que isto não é vender os filhos.

Vocês sabem lá a caspa que esta merda me causa. Que nojo.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Isto assim é uma canseira...

Sabem lá a lufa lufa que está a ser conseguir meter a leitura de blogs em dia. 

Uma pessoa anda uns dias mais assoberbada, pronto, é o descalabro.
Vocês escrevem muito. E depois não sei a origem da quezilas e tenho de ir ver. E os comentários senhores. Os comentários! Resmas deles, e extensos. Credo. 

Nivel de tetricidade* (ou doideira)

Quão doida serei por estar a ponderar fazer uma carta para o meu filho, para a eventualidade de me acontecer alguma coisa nesta viagem que vou fazer sem ele??!

Sim, a vir do trabalho para casa posso ser atropelada ou simplesmente cair para o lado, eu sei. Remeto para a leitura do título  (com incidência no "doideira").

*não sei se a palavra existe. Dont care.

Voltei, voltei...

Feriados de volta, yeay!!

Still alive

Demasiado trabalho, puto doente (nada grave, fruta da época) e muita coisa para organizar, que daqui a uma semanita vou de férias (sem puto)!